blog-036

Nesta quarta-feira (5/7), o Governador Geraldo Alckmin esteve em Marília para vistoriar e autorizar a transferência de 271 quilômetros de rodovias do DER (Departamento de Estradas de Rodagem) para a Entrevias Concessionária de Rodovias S/A. 

Com isso, a partir da 00h de amanhã (6/7), e com autorização e acompanhamento da ARTESP (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), a empresa assume o eixo da SP 333 entre Florínea e Borborema, assim como algumas rodovias transversais (listadas abaixo) – todas passarão, imediatamente, a receber obras de recuperação e melhorias, exigência contratual prevista no Programa de Concessões Rodoviárias do Governo do Estado de São Paulo.

Além desses serviços prioritários, nos próximos 12 meses será concluída a duplicação da Rodovia Dona Leonor Mendes de Barros (SP 333), entre o km 314,4 e o km 323. Ao todo, no primeiro ano de contrato, estão previstos investimentos de mais de R$ 160 milhões. Ao longo do contrato de 30 anos já estão garantidos R$ 3,9 bilhões em investimentos para proporcionar o desenvolvimento regional com ampliações na infraestrutura rodoviária, levando maior fluidez e segurança. A Entrevias inicia a operação com toda equipe e infraestrutura necessárias para atender às exigências do contrato:

Nesse primeiro momento foram contratadas 150 pessoas. A previsão é que ao longo de toda a concessão a geração de empregos chegue a 1.100 postos de trabalho.

Além da malha de 271 quilômetros de rodovias entre Florínea (no limite com o Paraná) e Borborema (na região central do Estado), a partir de março de 2018 a Entrevias irá assumir o trecho de 299 quilômetros atualmente delegados à Concessionária Vianorte. Na transição, haverá redução média de 19% nos valores de pedágio atualmente em operação nesse trecho. Adicionalmente, em todas as praças deverá ser praticado desconto de 5% na tarifa para os usuários que optarem pelo pagamento eletrônico (com tags).

Programa Intensivo Inicial (PII). Somente para a implantação do Programa que compreende obras emergenciais no pavimento, sinalização e área de domínio da rodovia para que o trecho seja adequado aos parâmetros do Programa de Concessões Rodoviárias do Estado de São Paulo, serão investidos R$ 98,3 milhões. Nos dois primeiros meses a Concessionária Entrevias terá que realizar o serviço de tapa buracos em todo o lote, além de remover arbustos e árvores da área de domínio que comprometam a segurança viária ou o sistema de drenagem. Do total previsto para o PII, R$ 84,7 milhões serão investidos na recuperação de pavimento. Essas intervenções, além do tapa-buraco, incluem correções de depressões, selagem de trincas, recomposição do pavimento, eliminação de degraus entre a pista e o acostamento, que devem ser concluídas em seis meses. Todas as obras do PII têm de estar finalizadas em um ano, segundo o contrato de concessão.

Duplicações, Vias Marginais, Passarelas e Ciclovias. Além dessas intervenções emergenciais, também há obras de ampliação previstas para serem concluídas já no primeiro ano de contrato. É o caso da duplicação de 8,6 quilômetros da SP-333 na região de Marília, entre o km 314,4 e o km 323. No total, o contrato prevê a execução de 201 quilômetros de pistas da SP-333 entre Florínea e Borborema nos primeiros oito anos de contrato. Outras obras a serem concluídas no primeiro ano são a implantação de 5,1 quilômetros de marginais na SP-333 em Marília que irão melhorar a fluidez e segurança no trecho do município, além de oito novas passarelas e 14 quilômetros de ciclovias na SP-333.

Rodovias do Centro Oeste / Inovações. O lote Rodovias do Centro Oeste Paulista engloba trechos de sete rodovias paulistas no eixo entre Florínea (divisa com o Paraná) e Igarapava (divisa com Minas Gerais): SP-266; SP-294; SP-322; SP-328; SP-330; SP-333 e SP-351. Do total de investimentos, R$ 1 bilhão será em obras de ampliação principal. Também estão previstos R$ 1,8 bilhão para a restauração de rodovias, R$ 516 milhões em equipamentos e sistemas, além de outros investimentos. A nova concessão traz várias inovações com o objetivo de oferecer ao usuário serviços de melhor qualidade. A concessionária irá equipar a rodovia com wi-fi (rede de dados sem fio) ao longo de toda a malha a fim de levar ao usuário informações sobre o sistema, atualizando-o, por exemplo, sobre a situação do trânsito. Para maior segurança e fluidez do tráfego, as estradas serão totalmente monitoradas por câmeras inteligentes.

Pedágio só após Investimentos. O contrato de concessão prevê que a cobrança de pedágio só poderá ser iniciada após o término dos investimentos previstos no PII, cuja conclusão só será considerada efetivada pela Artesp após a realização de vistoria específica de cada item. Assim que houver a liberação da cobrança, a concessionária já terá de estar com os equipamentos programados para dar desconto de 5% na tarifa para os veículos que utilizem o pagamento automático. Também está prevista a possibilidade de a concessionária adotar tarifas flexíveis, com preços menores nos horários de menor demanda de tráfego, por exemplo. Essa prática, além de significar economia no bolso do usuário, pode contribuir decisivamente para melhor equilíbrio de fluxo, retirando uma quantidade considerável de veículos nos horários de pico, atraindo-os para a rodovia naqueles momentos em que há menos tráfego.